× Bienal'19 Ci.CLO Bienal Adaptação e Transição Programa Mapa Residências Bienal Exposições Simpósio Oficinas Bolsas Equipa Diário Sobre CI.CLO Parceiros Notícias de Imprensa Faça Parte Imprensa Equipa Contactos

PT EN

Mandy-Barker_SOUP_Birds-Nest.gif
Mandy Barker

SOUP, SAND, BEYOND DRIFTING: IMPERFECTLY KNOWN ANIMALS

Mandy Barker

SOPA

Sopa é a descrição conferida aos detritos plásticos em suspensão no mar, particularmente a acumulação de massa existente na zona do Pacífico Norte designada como a Grande Ilha de Lixo do Pacífico Esta série de imagens visa envolver e estimular a resposta emocional do espectador criando uma contradição entre as atrações estéticas iniciais e a consciência social.


Os plásticos fotografados foram recolhidos em praias de todo o mundo e representam uma coleção global de detritos que permaneceram durante diferentes períodos de tempo nos oceanos do mundo. As legendas referenciam os objetos de plástico como uma lista de “ingredientes”, proporcionando ao espectador a ideia nítida do que hoje é realmente o mar.

MAIS ALÉM DA DERIVA: ANIMAIS IMPERFEITAMENTE CONHECIDOS

O Plâncton, constituído por Animais Imperfeitamente Conhecidos [Imperfectly Known Animals], forma um conjunto de diversos organismos aquáticos microscópicos que vivem na coluna de água, incapazes que nadar contra a corrente, e que existem num estado flutuante, à deriva nas águas. Nesta série de “espécimes” únicos, a espécie animal relaciona-se com as descobertas pioneiras em matéria de plâncton realizadas pelo biólogo marinho John Vaughan Thompson em Cobh, no Porto de Cork, nos inícios do século XIX. Apresentados como amostras microscópicas, os objetos criados com detritos plásticos marinhos recolhidos no mesmo local, mimetizam as primeiras descobertas científicas de Thompson no âmbito do plâncton.


As investigações científicas da atualidade constataram que o plâncton ingere partículas de plástico
microscópicas, confundindo-as com alimentos e, na base da cadeia alimentar, este é uma fonte vital de alimento para muitas criaturas maiores. O potencial impacto na vida marinha e, em última instância, nos seres humanos, é neste momento uma preocupação fundamental. Em termos de plâncton, e de ação, estamos “mais além da deriva” e devemos trazer os “animais imperfeitamente desconhecidos” para o centro das atenções.

https://mandy-barker.com/